terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Drama de um homem com gripe!

Foi mais ou menos assim que me senti no fim de semana.Substituam a Lurdes  por um televisor sintonizado na National Geographic a exibir um programa sobre dinossáurios e  os miúdos pelos trabalhos de bricolage do vizinho de cima e ficam com um cenário aproximado :-)

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele
Grito de medo, chamo a mulher.
Ai Lurdes que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os miúdos, fecha a janela,
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se tu sonhasses como me sinto,
vejo a morte nunca te minto,
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
anjos estranhos, cornos e rabos,
Vejo demónios nas suas danças
Tigres sem listras, bodes sem tranças
Choros de coruja, risos de grilo
Ai Lurdes, Lurdes fica comigo
Não é o pingo de uma torneira,
Põe-me a Santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o Doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes nem dás por nada.
Faz-me tisanas e pão de ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sozinho a apodrecer,
Ai Lurdes, Lurdes que vou morrer.
( António Lobo Antunes)

9 comentários:

  1. Adiantaste-te, pois ia comentar com esse poema!

    Aiiiiiiiiiiiiiiii...que vou morrer:))))

    Aiiiiiiiiiiii...os homens!!!

    Parece que temos homem!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Este poema é genial! E elucidativo da "imagem" de um homem com gripe... :)))

    Continuação das melhoras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu acho este poema genial, mas outra coisa não se podia esperar do António Lobo Antunes.

      Eliminar
  3. Quadro pior que esse, só se não houver uma Lurdes por perto! :)))
    Melhoras rápidas.

    ResponderEliminar
  4. Ai os homens! São mesmo assim. Têm uma dor de cabeça e já parece que vão morrer...

    ResponderEliminar
  5. Detesto esta criatura, mas acho muita piada a este escrito desde que o conheço, rrsss

    Quanto a Relvas , Deus me perdoe, adoro vê-lo humilhado ao ponto de ser o único membro do Governo após Abril 1974 a não ter hipótese de falar, rrssss

    Porém , receio que esteja a servir de cortina para outros, como António Borges e afins.


    Bons sonhos e rápidas melhoras, amigo!

    ResponderEliminar
  6. O texto, que já tinha publicado no meu blogue, é genial.
    Os livros dele são insuportáveis e pedantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro, ele é insuportável e pedante, mas não os seus livros.
      Ele foi sempre o meu preferido para o Nobel.

      Eliminar